Coronavírus

Por disputa política, Bolsonaro trata mortes e vacina com chacota

Presidente diz que Brasil tem que "deixar de ser um país de maricas"

| Atualizado em

Bolsonaro comemorou a suspensão dos testes
Bolsonaro comemorou a suspensão dos testes

Enquanto a pandemia não dá sinais de arrefecimento e a população espera pelo anúncio de uma vacina eficaz de combate à Covid-19, Bolsonaro segue tratando a situação com descaso e transformou o assunto numa disputa com o governador João Doria, seu desafeto político.

Nesta terça-feira (10), Bolsonaro ironizou a suspensão determinada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) dos testes da vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Segundo a Anvisa, a suspensão se deu em razão da suspeita em torno da morte de uma pessoa que testava a vacina. O Instituto Butantan declarou que estranhou a suspensão pela Anvisa sem ter havido os procedimentos padrões de consulta prévia nestes casos e informou que a morte não teve a ver com o teste, mas que foi um suicídio.

Em suas redes sociais, Bolsonaro comentou: “mais uma que Jair Bolsonaro ganha”. No texto, também acusou Doria de “querer obrigar todos os paulistanos a tomar [a vacina]”.

Nesta quarta-feira (11), a Anvisa anunciou  a autorização para retomada dos testes com a CoronaVac.

No mês passado, Bolsonaro já havia utilizado a vacina CoronaVac para atacar Doria. Em um post nas redes sociais, afirmou que a “vacina chinesa de João Doria” não deve ser comprada pelo governo. O presidente desautorizou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que havia anunciado a compra de 46 milhões de doses do medicamento no final do ano.

Em setembro, outra vacina produzida pela universidade britânica Oxford, em parceria com o laboratório AstraZeneca, também teve os testes suspensos temporariamente, após um voluntário relatar uma possível reação adversa ao imunizante. Dias depois, os testes foram retomados. Segundo a universidade, foi concluído que a reação não tinha vínculo com o medicamento.

Todas as vacinas ainda estão em fases de testes, umas mais avançadas, outras menos. A questão é que Bolsonaro segue com sua política genocida que minimiza a gravidade da pandemia e trata com descaso o sofrimento dos infectados e das famílias que perderam seus entes. O presidente de ultradireita, que até hoje defende o uso da cloroquina para tratamento da Covid (que não tem eficácia científica comprovada), já defendeu que quando for liberada alguma vacina, ela não deve ser obrigatória.

Ainda nesta terça, em outra declaração minimizando a pandemia, Bolsonaro acrescentou pitadas de homofobia e disse que o Brasil tem de “deixar de ser um país de maricas”.  Em mais um arroubo de sua política genocida, reclamou que ‘tudo agora é pandemia’ e que ‘tem que acabar esse negócio’, em referência à doença que matou mais de 162 mil brasileiros.

Fonte: CSP-Conlutas

 


OMS dá recado duro a Bolsonaro sobre pandemia: “Brasil precisa levar isso a sério”
Crise do coronavírusus

OMS dá recado duro a Bolsonaro sobre pandemia: “Brasil precisa levar isso a sério”

Diretor da organização disse que, se não houver medidas de isolamento, país não conseguirá diminuir casos

Com Estado de SP na fase vermelha, Sindicato volta a fechar sede e subsedes
Coronavírus

Com Estado de SP na fase vermelha, Sindicato volta a fechar sede e subsedes

Medida visa preservar a saúde de metalúrgicos e funcionários da entidade

Metalúrgicos da General Motors aprovam layoff com estabilidade no emprego
Em assembleia

Metalúrgicos da General Motors aprovam layoff com estabilidade no emprego

Medida atingirá 600 trabalhadores de todo o complexo da GM na cidade

Em assembleia, metalúrgicos da Ericsson elegem delegado sindical
Organização de base

Em assembleia, metalúrgicos da Ericsson elegem delegado sindical

Para suplente foi escolhido o metalúrgico Jairo Venâncio

Metalúrgicos da MS Ambrógio aprovam acordo de PLR
Participação nos Lucros

Metalúrgicos da MS Ambrógio aprovam acordo de PLR

O acordo foi aprovado nesta quinta-feira (4) em votação por cédula

Pela vida, é hora de parar tudo e exigir vacina, já!
Coronavírus

Pela vida, é hora de parar tudo e exigir vacina, já!

Diante do agravamento da crise do coronavírus no país, é hora de pararmos tudo e exigirmos vacina para todos, já! Por...

Metalúrgicos da Ericsson conquistam PLR 10% maior
Participação nos Lucros

Metalúrgicos da Ericsson conquistam PLR 10% maior

Trabalhadores cão receber R$ 7.700 em uma única parcela

Por falta de peças, GM anuncia layoff em São José dos Campos
Empregos

Por falta de peças, GM anuncia layoff em São José dos Campos

Sindicato apresentará proposta aos trabalhadores nesta terça-feira (2)

Jurídico do Sindicato garante reintegração de trabalhador da Parker Hannifin
Ação judicial

Jurídico do Sindicato garante reintegração de trabalhador da Parker Hannifin

Sandro Yoshio Ueno foi demitido irregularmente, em dezembro de 2019

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP
Telefone: (12) 3946-5333