Nota CSP-Conlutas

Unidade de ação contra o golpe militar na Bolívia! Por eleições livres, já!

Central manifesta seu posicionamento sobre situação no país vizinho


A Central Sindical e Popular, CSP-Conlutas, manifesta seu posicionamento em nota pública sobre a situação na Bolívia. Convoca unidade de ação para a luta contra o golpe militar no país e defende eleições livres imediatamente.

Um golpe militar contra o povo indígena e trabalhador aconteceu na Bolívia neste último domingo (10/11). Golpe dirigido por Luis Fernando Camacho, pela polícia e pelo exército, que manobraram e se utilizaram da mobilização popular contra a fraude eleitoral realizada por Evo Morales. A burguesia de ultradireita de Santa Cruz, liderada por Camacho, trata-se de uma burguesia violenta, xenófoba e que tem ódio dos indígenas.

Distintos motins policiais se sucederam apontando na perspectiva do golpe, porque colocavam a força das armas a serviço da proposta da ultradireita e da derrubada de Evo.
 
No início, a cúpula do Exército assumiu uma postura de “não intervenção”, como se existisse neutralidade em uma situação como essa. Posteriormente, depois de divulgado o relatório da OEA que apontou graves irregularidades no processo eleitoral boliviano, essa mesma cúpula “solicitou” a Evo que renunciasse, um verdadeiro ultimato. Evo então renunciou. O presidente dos EUA, Donald Trump também exigiu a renúncia e depois aplaudiu “os militares por proteger a constituição.”

Não se trata simplesmente de uma renúncia de Evo. Houve um golpe militar, que Evo aceitou sem resistir. A Bolívia tem na sua história muitos golpes militares. E também muita resistência a esses golpes que terminaram derrotados. O que ocorre na Bolívia hoje faz parte de um processo de mobilizações e lutas que estão acontecendo em vários países, e reflete o acirramento das lutas dos trabalhadores contra os planos de fome e miséria e contra a ganância capitalista em todo o mundo.

Era possível derrotar o golpe. Ainda é possível derrotar o golpe!

Neste momento, movimentos sociais marcham até La Paz contra o golpe sob gritos de “guerra civil” na Bolívia. A COB (Central de Trabalhadores Boliviana) lança um chamado a Greve Geral para possível início em 24h. A resistência se intensifica mesmo com a repressão do Exército. Indígenas e cocaleiros denunciam o aspecto racista do golpe e falam em guerra civil para derrubar os golpistas Camacho e Carlos Mesa.

A Central Sindical e Popular CSP-Conlutas, que sempre esteve ao lado dos trabalhadores e do povo pobre boliviano e que sempre se posicionou contra a submissão do governo de Evo Morales ao imperialismo, neste momento chama a todas as organizações do movimento de massas da Bolívia e de todo o mundo a mais ampla unidade de ação para lutar contra esse golpe. É necessário apontar para auto-organização do movimento de massas para retomar a resistência.

Embora não depositemos nenhuma confiança em Evo Morales, não aceitamos a proibição de qualquer candidatura. Todos os trabalhadores e quaisquer setores têm o direito de participar das eleições.

Abaixo o Golpe na Bolívia!

Por eleições livres, sem restrições!

Fonte: CSP - Conlutas


Neste sábado tem Assembleia Geral para abrir a Campanha Salarial
Reunião virtual

Neste sábado tem Assembleia Geral para abrir a Campanha Salarial

Pra participar é preciso inscrever-se pelo WhatsApp até sexta-feira

Abertura do comércio por Felício fez disparar novos casos e mortes por covid-19
Pandemia

Abertura do comércio por Felício fez disparar novos casos e mortes por covid-19

4.064 pessoas já tiveram diagnóstico positivo para covid-19

Baixo valor do auxílio emergencial expõe famílias ao coronavírus
Crise do coronavírusus

Baixo valor do auxílio emergencial expõe famílias ao coronavírus

Com quantia irrisória de R$ 600, trabalhador precisou sair de casa para complementar a renda

Sindicato procura ex-trabalhadores da Embraer para recebimento de valores
Direitos

Sindicato procura ex-trabalhadores da Embraer para recebimento de valores

Alguns metalúrgicos ainda não foram localizados e, por isso, não receberam seus direitos

Toda solidariedade aos químicos da TI Brasil
Nota

Toda solidariedade aos químicos da TI Brasil

Fábrica deverá encerrar as atividades até dezembro de 2020

Protesto silencioso denuncia política genocida de Bolsonaro em crise do coronavírus
Em frente a hospital

Protesto silencioso denuncia política genocida de Bolsonaro em crise do coronavírus

Com cruzes nas mãos, recordando os quase 70 mil brasileiros mortos pela covid-19, trabalhadores de várias categorias...

Com mobilizações em fábricas, metalúrgicos exigem: Fora Bolsonaro e Mourão!
Jornada de Lutas

Com mobilizações em fábricas, metalúrgicos exigem: Fora Bolsonaro e Mourão!

Em todas as atividades, o Sindicato adotou protocolos de segurança contra a covid-19

Manifestações pelo Fora Bolsonaro terão atos em fábricas e Hospital Municipal
Jornada de Lutas

Manifestações pelo Fora Bolsonaro terão atos em fábricas e Hospital Municipal

Atividades acontecerão dias 10, 11 e 12

Trabalhador da Embraer é primeira vítima fatal da covid-19 entre metalúrgicos da categoria
Luto

Trabalhador da Embraer é primeira vítima fatal da covid-19 entre metalúrgicos da categoria

Em homenagem à vítima, a entidade realizará um ato na portaria da empresa, nesta quarta, a partir das 15h

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP
Telefone: (12) 3946-5333