Novo programa

Governo Bolsonaro reduz direitos trabalhistas para jovens

Pacote de medidas promete gerar empregos, mas, na verdade, é um atentado contra o povo.

| Atualizado em

Mais ataques de Jair Bolsonaro ao trabalhador
Mais ataques de Jair Bolsonaro ao trabalhador - Foto: Marcos Corrêa/PR

O governo Bolsonaro iniciou esta semana com mais um ataque aos direitos dos trabalhadores. Na segunda-feira (11), foi anunciado o pacote de medidas que promete gerar empregos, mas, na verdade, trata-se de mais um atentado contra o povo.

O programa, chamado de “carteira de trabalho verde e amarela”, tem como alvo jovens de 18 a 29 anos, à procura do primeiro emprego. Na prática, o que se vê é mais do mesmo: redução de direitos para os trabalhadores e vantagens para os patrões.

Ao todo, os empresários terão uma redução de 32% no custo das contratações. Isso vai gerar perdas aos cofres públicos, além de cortar direitos. 

O programa isenta as empresas da contribuição ao INSS (de 20% sobre a folha) em contratos dessa modalidade. Já o FGTS depositado pelos patrões cairá de 8% para 2%. Além disso, em caso de demissão sem justa causa, o valor da multa será de 20% sobre o saldo, e não 40%, como é para os demais contratos. Essa medida penaliza o trabalhador no pior momento: o da demissão. 

Segundo a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, o programa deve atingir 1,8 milhão de jovens e vale para vagas que paguem até um salário mínimo e meio (R$ 1.497) – justamente uma das parcelas da população que mais precisam de benefícios sociais. 

Mais precarização
Os admitidos a partir dessas novas medidas encontrarão condições desiguais e desfavoráveis nos contratos, que serão definidos de acordo com os interesses do patrão. Até mesmo o trabalho aos domingos foi liberado por Bolsonaro nessa MP, mas em vez de receber hora extra, o trabalhador terá direito a um dia de folga durante a semana.  

“Os jovens terão de encarar a terceirização, o baixo salário e um contrato com pouca segurança ou garantia. É a destruição das leis trabalhistas para essa parcela da população. Os trabalhadores precisam se mobilizar contra esse cenário e voltar às ruas”, afirma a diretora do Sindicato Maria de Fátima Antunes Barbosa, a Fatinha.


Com intransigência da Embraer sobre PDV, Sindicato vai à luta contra demissões
Em defesa dos empregos

Com intransigência da Embraer sobre PDV, Sindicato vai à luta contra demissões

Vamos pressionar o poder público para que se posicione em favor dos trabalhadores

Sindicato pede na Justiça afastamento de Conselho Administrativo da Embraer
Processo

Sindicato pede na Justiça afastamento de Conselho Administrativo da Embraer

Transação comercial com a Boeing trouxe consequências negativas para empresa e trabalhadores

Em plena pandemia, Embraer anuncia PDV
Absurdo

Em plena pandemia, Embraer anuncia PDV

Embraer comunicou ao Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, nesta quinta-feira (2)

Bolsonaro veta uso obrigatório de máscaras em igrejas, fábricas e escolas
Coronavírus

Bolsonaro veta uso obrigatório de máscaras em igrejas, fábricas e escolas

A decisão inconsequente foi publicada nesta sexta-feira (3) e altera trechos da Lei Federal sobre o uso de máscaras na...

Subsedes e Jurídico retomam atendimento com horário especial
Pandemia

Subsedes e Jurídico retomam atendimento com horário especial

Devido à pandemia, os horários e dias serão reduzidos

População negra e pobre é a mais afetada pela covid-19
Crise do coronavírus

População negra e pobre é a mais afetada pela covid-19

Dados apontam que em bairros mais pobres a contaminação pelo coronavírus chega a ser 2,5 vezes maior

Com greve nacional, entregadores denunciam precarização do trabalho
Breque dos apps

Com greve nacional, entregadores denunciam precarização do trabalho

Foram registradas mobilizações em pelo menos 13 capitais e no Distrito Federal

Metalúrgicos da Panasonic definem reivindicações de PLR e reajuste salarial
Participação nos lucros

Metalúrgicos da Panasonic definem reivindicações de PLR e reajuste salarial

Negociações entre empresa e Sindicato continuam

Proposta de PLR da Prolind e Movent é rejeitada pela segunda vez
Decisão dos trabalhadores

Proposta de PLR da Prolind e Movent é rejeitada pela segunda vez

Empresas também querem empurrar zero de aumento real na Campanha Salarial

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP
Telefone: (12) 3946-5333