Seus direitos

Ministro do STF suspende ações trabalhistas e prejudica milhões de trabalhadores

Decisão de Gilmar Mendes pode paralisar Justiça do Trabalho

| Atualizado em

Gilmar Mendes
Gilmar Mendes

Milhões de brasileiros que aguardavam para receber o dinheiro de ações trabalhistas terão de esperar ainda mais, após decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), divulgada no sábado (27). 

Mendes suspendeu os processos relacionados à correção monetária das dívidas trabalhistas. Atualmente, há um impasse sobre o método utilizado para o cálculo, que pode levar em conta o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ou a Taxa Referencial (TR).

Seguindo uma recomendação do próprio STF, de 2015, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) considera o IPCA, que está em 1,92% levando-se em conta os últimos 12 meses. O intuito é repor perdas geradas pela inflação durante o período em que o processo corria na Justiça. 

No entanto, a reforma trabalhista, aprovada em 2017, determina a aplicação da Taxa Referencial (TR), que atualmente está em 0%. Neste caso, a inflação é simplesmente ignorada. Esta forma é defendida pelos patrões, que acabam gastando menos, enquanto os trabalhadores são prejudicados.

O TST esperava resolver de uma vez por todas a questão em votação na segunda-feira (29). O órgão, inclusive, já tinha maioria para aprovar a utilização do IPCA. A liminar de Gilmar estabelece, no entanto, que será o STF o responsável por dar fim ao impasse. 

Ataque ao trabalhador
A decisão de Gilmar Mendes é um ataque aos trabalhadores de diversas formas. Ela atende ao pedido das organizações patronais que querem reduzir o valor das ações trabalhistas, ao passo que suspende o pagamento das dívidas por tempo indeterminado. 

Ainda não há data para o julgamento do tema, e o STF está prestes a entrar no seu recesso de meio de ano. Como se trata de uma decisão que afetará o cálculo das verbas trabalhistas, toda Justiça do Trabalho pode ser paralisada, inclusive os processos em estágio final. 

Este cenário é ainda mais grave se levarmos em conta a crise social gerada pela pandemia. Estima-se que a covid-19 gerou 7,8 milhões de desempregados. Muitos destes esperavam decisões judiciais para receber seus direitos, como férias, 13º salário e FGTS.

"A decisão representa um confisco sobre os recursos da classe trabalhadora. Tributos, contratos e outras obrigações jurídicas são todas corrigidas por índices de preços, que expressam as perdas inflacionárias. A TR não corrige nada e os valores de condenação vão se perder no ralo criado por essa liminar absurda", denuncia o advogado do Sindicato, Aristeu Neto.


Em dia de luta, metalúrgicos exigem: Fora Bolsonaro e Mourão
Em defesa da vida e dos empregos

Em dia de luta, metalúrgicos exigem: Fora Bolsonaro e Mourão

Houve atividades em nove fábricas de São José, Jacareí e Caçapava

Metalúrgicos aprovam mudanças no estatuto do Sindicato
Democracia

Metalúrgicos aprovam mudanças no estatuto do Sindicato

Votação foi feita virtual como forma de prevenção à covid-19 e preservação da saúde dos trabalhadores

Em dia de luto, trabalhadores protestam em frente à Prefeitura de São José
Em defesa da vida

Em dia de luto, trabalhadores protestam em frente à Prefeitura de São José

Prefeito é defensor ferrenho do relaxamento das medidas de prevenção ao coronavírus

Metalúrgicos da Prolind elegem delegado sindical
Organização de base

Metalúrgicos da Prolind elegem delegado sindical

Votação ocorreu em assembleia, nesta sexta-feira

Metalúrgicos da Avibras aprovam PLR e pauta da Campanha Salarial
Mobilização

Metalúrgicos da Avibras aprovam PLR e pauta da Campanha Salarial

O benefício será pago em abril de 2021

Trabalhadores da Chery conquistam PLR, aumento salarial e estabilidade
Mobilização

Trabalhadores da Chery conquistam PLR, aumento salarial e estabilidade

Benefício será de R$6.400, com pagamento em duas parcelas

Em assembleia, trabalhadores da Domex aprovam PLR
Participação nos Lucros

Em assembleia, trabalhadores da Domex aprovam PLR

Companheiros estavam em estado de greve desde semana passada

Justiça anula demissões na Renault e exige reintegração dos trabalhadores
Mobilização

Justiça anula demissões na Renault e exige reintegração dos trabalhadores

A decisão, publicada nessa quarta-feira (5), foi tomada depois de 15 dias de greve dos metalúrgicos da empresa

Dia Nacional de Luto e de Luta exige Fora Bolsonaro e Mourão
Nesta sexta

Dia Nacional de Luto e de Luta exige Fora Bolsonaro e Mourão

Em São José, o Sindicato realizará assembleias com os trabalhadores nas fábricas para denunciar os ataques do Planalto

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP
Telefone: (12) 3946-5333