Trabalhador na mira

Pacote de maldades do governo ataca servidores, salário mínimo e serviços públicos

O governo enviou ao Congresso Nacional, na terça-feira (5), uma série de propostas que alteram a Constituição

| Atualizado em

Jair Bolsonaro entrega o pacote de maldades
Jair Bolsonaro entrega o pacote de maldades - Foto: Marcos Corrêa/PR

Os ataques de Jair Bolsonaro e sua equipe econômica contra a população continuam. O governo enviou ao Congresso Nacional, na terça-feira (5), uma série de propostas que alteram a Constituição. É o Plano Mais Brasil, que afetará duramente os servidores públicos, o reajuste do salário mínimo, além de abrir caminho para corte de recursos destinados à população. 

Pela PEC Emergencial, o funcionário público poderá ter seu salário cortado em até 25% em períodos de crise. A mudança reduz a jornada proporcionalmente e poderá valer por 12 meses.

Entre as medidas emergenciais está a proibição de promoção de servidores, reajustes salariais, criação de cargos, reestruturação de carreira, novos concursos e criação de verbas indenizatórias (como auxílios).

Já na reforma administrativa, os ataques ao funcionalismo público vêm com a redução no número de carreiras e mudanças nas regras de estabilidade para facilitar a exoneração. O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que irá retirar a estabilidade de concursados que possuem filiação partidária. A medida, além de ferir a Constituição, demonstra o autoritarismo típico desse governo. 

Ataque ao salário mínimo e à educação
Já tão insuficiente para os trabalhadores, o salário mínimo é um dos alvos dos ataques de Bolsonaro. Uma das propostas elaboradas pela equipe do presidente é a proibição do reajuste acima da inflação por dois anos, em caso de crise nas contas públicas. O benefício não recebe aumento real desde 2017, sob o governo de Michel Temer. 

Também está no texto a possibilidade de se acabar com o financiamento do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). A matéria desobriga, a partir de 2021, o repasse dos 20% recolhidos com impostos para o fundo.

Redução das cidades
Alegando incapacidade financeira, o governo Bolsonaro quer acabar com os municípios que tenham menos de cinco mil habitantes e arrecadação própria menor que 10% da receita total. Esses devem, a partir de 2025, ser incorporados a cidades vizinhas que tenham maiores orçamentos.

Redução da multa do FGTS
Ainda sem data para ser apresentado aos parlamentares, o governo elaborou um plano de primeiro emprego para jovens de 18 a 29 anos. Os contratados sob este regime receberão apenas 20% da multa do FGTS em caso de demissão sem justa causa. Atualmente, o índice é de 40%. 

O pacote também virá repleto de bondades aos empresários. O patrão que aderir ao plano estará livre de pagar ao INSS os 20% sobre a folha salarial. Já a contribuição patronal referente ao FGTS passará de 8% para 2%. 

“As medidas anunciadas pelo governo são absurdas e intensificam ainda mais o ataque aos direitos. Não há caminho para enfrentar esse cenário que não seja o da luta nas ruas, como faz atualmente a população chilena”, afirma o presidente do Sindicato, Weller Gonçalves.


Caos no INSS obriga trabalhadores a procurar Justiça por benefício
Desmonte da Previdência

Caos no INSS obriga trabalhadores a procurar Justiça por benefício

Processos sobre aposentadoria por tempo de contribuição estão no topo da lista

Nesta sexta, participe da manifestação pelo Dia Nacional do Aposentado
Contra o desmonte do INSS

Nesta sexta, participe da manifestação pelo Dia Nacional do Aposentado

Ato ocorre em frente à sede da Previdência, às 10 horas da manhã.

Ex-Embraer, Yaborã anuncia licença remunerada
Transição

Ex-Embraer, Yaborã anuncia licença remunerada

Trabalhadores só retornam para a fábrica na segunda-feira

Política de Bolsonaro aprofunda desigualdade, afirma Oxfam
Alerta

Política de Bolsonaro aprofunda desigualdade, afirma Oxfam

O alerta foi feito, nesta segunda-feira (20), em estudo sobre a concentração de renda no mundo.

Congresso dos Metalúrgicos será de 24 a 26 de abril
Errata

Congresso dos Metalúrgicos será de 24 a 26 de abril

Evento é espaço democrático para debates e decisões da categoria

Trabalhadores da Embraer iniciam ano com incerteza sobre o futuro
Não à venda para a Boeing

Trabalhadores da Embraer iniciam ano com incerteza sobre o futuro

Dois mil foram transferidos para unidade de Eugênio de Melo

Samba Democrático acontece no próximo sábado com Grupo Desejo
Lazer

Samba Democrático acontece no próximo sábado com Grupo Desejo

Evento começa a partir das 17h e terá participação do grupo de dança Samba Rock

Metalúrgicos da MWL exigem transparência sobre futuro da fábrica
Mobilização

Metalúrgicos da MWL exigem transparência sobre futuro da fábrica

MWL acumula pendências, como pagamento do FGTS, INSS, vale-alimentação, convênio médico e farmácia

Sindicato abre processo seletivo para estágio em Administração e Jornalismo
Contratação

Sindicato abre processo seletivo para estágio em Administração e Jornalismo

Currículos devem ser enviados até o dia 24 de janeiro

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP
Telefone: (12) 3946-5333