AI-5 nunca mais

Centrais repudiam declarações de Eduardo Bolsonaro

Movimento sindical defende abertura de processo no Conselho de Ética da Câmara Federal

| Atualizado em

A fala covarde e irresponsável do filho do presidente da República é mais uma “cortina de fumaça” utilizada pra tentar abafar as relações nada republicanas da família Bolsonaro com as milícias.

Convém lembrar que o Ato Institucional número 5 foi instituído no final de 1968 pelo general Artur da Costa e Silva com o propósito de perseguir e calar as organizações e personalidades que faziam oposição ao regime militar.

O mais duro ato imposto pela ditadura abriu caminho para o fechamento do Congresso Nacional, suspensão de quaisquer garantias constitucionais, cassação de mandatos, intervenção nos sindicatos, prisões , assassinatos e tortura de opositores.

O regime instituído pelos militares, através de um golpe apoiado pelos EUA e o empresariado, foi derrotado pelo povo brasileiro  em 1985 na sequência da maior campanha política registrada na história brasileira. A conquista da democracia no Brasil demandou o sacrifício de inúmeros brasileiros e brasileiras.

A classe trabalhadora e seus representantes foram as principais vítimas do regime militar e não medirão esforços para defender as liberdades democráticas contra os arroubos reacionários do deputado da extrema direita e outros membros do Clã Bolsonaro.

Centrais Sindicais defendem a abertura de processo no Conselho de Ética da Câmara Federal para apurar a conduta do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Sergio Nobre – Presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores)
Miguel  Torres – Presidente da Força Sindical
Ricardo Patah – Presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores)
Adilson Araújo – Presidente da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)
Antonio Neto – Presidente da CSB (Central dos Sindicatos do Brasil)
José Calixto – Presidente da NCST (Nova Central Sindical de Trabalhadores)
Edson Carneiro Índio, Secretário Geral da Intersindical
Atenágoras Lopes, presidente da CSP-CONLUTAS
Emanuel Melato – Coordenador da Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora


Carta aos trabalhadores da Embraer

Carta aos trabalhadores da Embraer

Mais uma vez Boeing mostra a que veio

Congresso promulga reforma da Previdência que ataca direito à aposentadoria
Virou lei

Congresso promulga reforma da Previdência que ataca direito à aposentadoria

Entre outros ataques, reforma impõe idade mínima para aposentadoria de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres

Unidade de ação contra o golpe militar na Bolívia! Por eleições livres, já!
Nota CSP-Conlutas

Unidade de ação contra o golpe militar na Bolívia! Por eleições livres, já!

Central manifesta seu posicionamento sobre situação no país vizinho

Metalúrgicos da Delta aprovam acordo de PLR
Participação nos Lucros

Metalúrgicos da Delta aprovam acordo de PLR

O pagamento do benefício será realizado ainda neste mês

Bolsonaro taxa desempregado para dar isenção de imposto a patrão
Ataque aos direitos

Bolsonaro taxa desempregado para dar isenção de imposto a patrão

Medida Provisória (MP) 905 prevê o desconto de uma taxa de 7,5% de todos que recebem o seguro-desemprego

Governo Bolsonaro reduz direitos trabalhistas para jovens
Novo programa

Governo Bolsonaro reduz direitos trabalhistas para jovens

Pacote de medidas promete gerar empregos, mas, na verdade, é um atentado contra o povo.

Na Metinjo, trabalhadores conquistam reajuste salarial e renovação de direitos
Campanha Salarial

Na Metinjo, trabalhadores conquistam reajuste salarial e renovação de direitos

Os salários foram reajustados acima da inflação do período

Metalúrgicos da Mirage conseguem 4,5% de reajuste e renovação de direitos
Campanha Salarial

Metalúrgicos da Mirage conseguem 4,5% de reajuste e renovação de direitos

As negociações foram direto entre Sindicato e empresa

Sem proposta da Wirex Cable, trabalhadores completam duas semanas em greve
Paralisação

Sem proposta da Wirex Cable, trabalhadores completam duas semanas em greve

Entre as reivindicações dos trabalhadores está a volta de direitos e benefícios retirados arbitrariamente pela empresa

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP
Telefone: (12) 3946-5333