Mobilização

Centrais sindicais lançam campanha por renda, emprego e “Fora Bolsonaro”

Avaliação é que a insatisfação do povo com o governo vem crescendo

| Atualizado em

Arte do cartaz da campanha
Arte do cartaz da campanha

Dez centrais sindicais brasileiras, incluindo a CSP-Conlutas, lançaram na segunda-feira (18) uma campanha nacional pela saída de Jair Bolsonaro. A avaliação das entidades é que a insatisfação do povo com o governo vem crescendo devido à péssima postura do presidente ante a pandemia.

Entre as primeiras iniciativas da campanha está a fixação de 10 mil cartazes, em São Paulo, com a palavra de ordem: Pela vida, democracia, emprego e renda. Fora Bolsonaro! A agitação prevê que 1 milhão desses materiais sejam espalhados de norte a sul do país.

As centrais esperam canalizar as forças pela derrubada do presidente. Em pesquisa divulgada pela revista Exame, no final de abril, os números mostram que a maioria dos brasileiros já aprova o impeachment. Entre os entrevistados, 54% se disseram favoráveis à saída de Bolsonaro. 

No entanto, as organizações dos trabalhadores não acreditam que o Congresso possa levar a cabo um processo de impeachment contra Bolsonaro. A aposta é na mobilização para derrotar o governo e que a classe trabalhadora tome a frente nesse processo. 

Trinta dias de quarentena
Em paralelo aos esforços com as demais centrais, a CSP-Conlutas iniciou uma campanha nacional exigindo 30 dias de quarentena geral. No momento em que o Brasil registra milhares de mortes a cada semana, é ainda mais necessária a exigência do isolamento social para todos os trabalhadores.

A campanha defende maior proteção à saúde e garantia de segurança financeira para a população enfrentar a crise. Milhões ainda têm dificuldades para receber o auxílio emergencial. Além disso, as medidas provisórias editadas por Bolsonaro não garantem emprego e ainda castigam os trabalhadores com redução de salários e direitos.

“Não dá mais. O momento é de fortalecer a luta para tirar Bolsonaro e Mourão do Planalto. Já está clara a incompetência desse governo e sua falta de responsabilidade com a vida dos brasileiros”, afirma o vice-presidente do Sindicato, Renato Almeida. 


População negra e pobre é a mais afetada pela covid-19
Crise do coronavírus

População negra e pobre é a mais afetada pela covid-19

Dados apontam que em bairros mais pobres a contaminação pelo coronavírus chega a ser 2,5 vezes maior

Com greve nacional, entregadores denunciam precarização do trabalho
Breque dos apps

Com greve nacional, entregadores denunciam precarização do trabalho

Foram registradas mobilizações em pelo menos 13 capitais e no Distrito Federal

Metalúrgicos da Panasonic definem reivindicações de PLR e reajuste salarial
Participação nos lucros

Metalúrgicos da Panasonic definem reivindicações de PLR e reajuste salarial

Negociações entre empresa e Sindicato continuam

Proposta de PLR da Prolind e Movent é rejeitada pela segunda vez
Decisão dos trabalhadores

Proposta de PLR da Prolind e Movent é rejeitada pela segunda vez

Empresas também querem empurrar zero de aumento real na Campanha Salarial

Ações contra perda do FGTS
ATENÇÃO

Ações contra perda do FGTS

Muitas informações estão circulando nas redes sociais sobre as ações contra as perdas no Fundo de Garantia por Tempo...

Maioria dos que recebem auxílio emergencial reprova Bolsonaro na pandemia
Crise do coronavírusus

Maioria dos que recebem auxílio emergencial reprova Bolsonaro na pandemia

49% classificam a atuação do presidente como ruim ou péssima

Metalúrgicos vão à luta e exigem abertura das negociações da PLR 2020
Mobilização

Metalúrgicos vão à luta e exigem abertura das negociações da PLR 2020

Fábricas seguem produzindo normalmente e devem pagar o benefício

Homem de 61 anos é resgatado em trabalho análogo à escravidão em São José dos Campos
Trabalho escravo

Homem de 61 anos é resgatado em trabalho análogo à escravidão em São José dos Campos

Trabalhador realizava manejo de gado leiteiro desde 2005 sem salários e folgas

Ministro do STF suspende ações trabalhistas e prejudica milhões de trabalhadores
Seus direitos

Ministro do STF suspende ações trabalhistas e prejudica milhões de trabalhadores

Decisão de Gilmar Mendes pode paralisar Justiça do Trabalho

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP
Telefone: (12) 3946-5333