Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Imprensa / Últimas Notícias

Defesa do emprego 10/01/2012 | 18:38

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • RSS
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Audiência de conciliação sobre Panasonic termina sem acordo

Apesar do impasse, nova proposta definida na reunião será levada para assembleia com os trabalhadores nesta quarta

Terminou sem acordo a audiência de conciliação que aconteceu hoje, entre a Panasonic e o Sindicato, no TRT da 15ª Região, em Campinas. A audiência discutiu a demissão em massa de 120 trabalhadores realizada no final do ano passado pela empresa. No entanto, após as discussões, a empresa avançou em alguns pontos e uma nova proposta será levada para assembleia dos trabalhadores.

O Sindicato levou como proposta a suspensão das demissões, já que a dispensa em massa ocorreu de forma totalmente irregular. Afinal, a empresa levou em conta apenas sua situação econômica, sem considerar a questão social e sem nenhuma negociação prévia. A Panasonic alegou que isso seria totalmente inviável, já que a linha de micro-ondas já foi totalmente desativada.

Na audiência, a Panasonic aumentou a compensação financeira aos demitidos, concordando em pagar integralmente a estabilidade para quem estava às vésperas da aposentadoria, gestantes e cipeiros. A empresa também se comprometeu a discutir e até reintegrar os trabalhadores lesionados, com B91 ou B94, que têm a estabilidade no emprego garantida até a aposentadoria, segundo a Convenção Coletiva da categoria.

Outro ponto discutido foi sobre o convênio médico. A empresa concordou em manter o convênio médico por um ano para todos os demitidos que tinham mais de um ano de empresa. Para as gestantes, o compromisso é manter o convênio médico até que a criança complete um ano de idade. Para aqueles que tinham menos de um ano de empresa, o plano de saúde será estendido em tempo proporcional (6 meses de trabalho = seis meses de convênio e assim por diante).

O tempo para fornecimento da cesta básica também foi aumentado. Na sua proposta inicial, o fornecimento seria durante quatro meses. Agora, acatando a sugestão do Tribunal, a empresa concordou em fornecer a cesta básica por oito meses, para todos os demitidos.

Quanto à compensação financeira, a proposta ficou assim: R$ 500 para quem tem até um ano de empresa, R$ 1.000 pra quem tem de 1 a 5 anos, R$ 1.500 pra quem tem de 5 a 10 anos, R$ 2.000 pra quem tem de 10 a 15 anos e R$ 2.500 pra quem tinha mais de 15 anos de trabalho.

Trabalhadores serão consultados
O Sindicato levará a proposta discutida na audiência aos trabalhadores em assembleia nesta quarta-feira, dia 11, às 15h, na sede do Sindicato.

Na próxima quinta-feira, dia 12, o Sindicato se reúne com a empresa para informar sobre o resultado da assembleia. Caso a proposta não seja aprovada, o caso vai a julgamento, em data ainda não definida.

Conteúdo Relacionado

Veja mais Notícias



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®