Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Imprensa / Últimas Notícias

Dia Nacional de Luta 14/09/2017 | 10:50

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • RSS
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Metalúrgicos de nove fábricas se mobilizam por direitos

Houve atrasos de até três horas nas empresas da região

A reforma trabalhista e a lei da terceirização foram amplamente rejeitadas pelos metalúrgicos, nesta quinta-feira (14), Dia Nacional de Luta, Protestos e Greves. Trabalhadores de nove fábricas da região participaram de assembleias e protestos contra os ataques do governo Temer, com atrasos de até três horas na entrada da produção.

Metalúrgicos da TI Automotive, JC Hitachi, Gerdau, Panasonic, Prolind, Eleb, Parker Filtros, Chery e Parker Hannifin se mobilizaram em defesa dos direitos que governo e patrões querem arrancar dos trabalhadores de todo país.

O Dia Nacional de Luta faz parte das atividades do “Movimento Brasil Metalúrgico”, que reúne sindicatos e federações ligados à CSP-Conlutas, CUT, Força Sindical, Intersindical, CTB e UGT. São cerca de 2 milhões de trabalhadores mobilizados em diversas regiões do país.

A reforma trabalhista entra em vigor em novembro e representará um grave risco a direitos já conquistados pelos trabalhadores. A medida autoriza o rebaixamento de direitos previstos na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Na TI Automotive, a assembleia reuniu trabalhadores da produção e administrativo, com votação contra a reforma e a favor das cláusulas sociais da categoria. Houve atraso de uma hora na entrada. Na Prolind, o atraso chegou a duas horas.

“Retirar direitos é uma afronta a todos os trabalhadores. Temos de demonstrar que aqui a reforma não passará. Para isso, vamos nos manter no caminho da luta e resistência”, afirma o secretário-geral do Sindicato, Renato Almeida.

Campanha Salarial
Além das mobilizações por nenhum direito a menos, os metalúrgicos também votaram pela Campanha Salarial. Na Gerdau e Panasonic, foi aprovado aviso de greve. Os trabalhadores querem início imediato das negociações com as empresas.

Na Chery, em Jacareí, houve atraso de três horas na produção. As negociações entre empresa e Sindicato começam na segunda-feira (18). Assim como a luta por aumento real e assinatura do Acordo Coletivo, os trabalhadores da montadora também reivindicam melhorias nas condições de trabalho.

Na Parker Filtros, do setor de autopeças, na zona leste de São José dos Campos, os trabalhadores decidiram que, se não houver avanço nas negociações com o grupo patronal, o Sindicato irá negociar direto com a empresa.

Os metalúrgicos da Parker Hannifin, em Jacareí, pararam por duas horas e exigem abertura de negociações. Eles também protestaram contra a perseguição que a General Motors vem fazendo a dirigentes sindicais e ativistas.

"Neste Dia Nacional de Luta, os metalúrgicos estão reforçando toda indignação e repúdio contra os ataques promovidos pelo governo Temer e Congresso Nacional, que só atendem aos interesses dos empresários. A unidade da categoria metalúrgica neste momento é fundamental para barrar os efeitos da reforma trabalhista e da lei da terceirização", afirma o presidente do Sindicato, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá.

 

Conteúdo Relacionado

Veja mais Notícias



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®