Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Imprensa / Últimas Notícias

Reforma da Previdência 10/08/2017 | 11:27

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • RSS
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Após se livrar de investigação, Temer mira aposentadoria

É urgente que trabalhadores organizem resistência contra ataque

Depois de barrar na Câmara a investigação por envolvimento em corrupção, na última semana, o presidente Michel Temer (PMDB) prepara agora o terreno para a votação da reforma da Previdência. A expectativa do Palácio do Planalto é aprovar as mudanças na aposentadoria até outubro. Neste sentido, é urgente que os trabalhadores preparem a resistência contra mais este ataque.

Apesar da pressa, o governo tem um caminho complicado pela frente. A reforma precisa ser aprovada em dois turnos na Câmara por, no mínimo, 308 votos e, posteriormente, também em duas votações no Senado. Se não houver alterações, segue para sanção presidencial.

Preocupados com as eleições de 2018, muitos deputados dizem não querer se comprometer com a votação de uma pauta tão impopular. Mas, assim como se deu na votação para barrar as denúncias contra Temer, o “toma lá, dá cá” (distribuição de cargos e verbas) deve voltar com força total.

“Não dá para confiar neste Congresso. Os corruptos não estão preocupados na preservação dos direitos do trabalhador e vão dar o que o governo quer assim que tiverem uma boa oferta em troca. Só nossa mobilização pode impedir a votação. Por isso, é urgente a unidade das centrais sindicais em torno de uma nova Greve Geral contra a reforma”, afirma Luiz Carlos Prates, o Mancha, membro da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas.

Na prática, a reforma representa o fim do direito à aposentadoria para milhões de brasileiros. A proposta aumenta o tempo mínimo de contribuição de 15 para 25 anos, mas o benefício integral só viria após 40 anos.

Acaba também com a aposentadoria especial, o que irá prejudicar trabalhadores em situação insalubre, pessoas com deficiência, aposentadorias por incapacidade, entre outros ataques.

Confira os principais pontos da reforma da Previdência:

Idade mínima
65 anos para homens
62 anos para mulheres

Tempo mínimo de contribuição
25 anos de contribuição com benefício de apenas 70% da média

Benefício integral (limitado pelo teto)
40 anos de contribuição

Pensão por morte
Redução de até 40% no valor do benefício

Conteúdo Relacionado

Veja mais Notícias



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Maurício Diamante, 65, Centro, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2017 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®