Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Imprensa / Últimas Notícias

Corrupção 18/05/2017 | 14:28

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • RSS
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Acusado de receber propina, Aécio é afastado do Senado e sofre pedido de prisão

Responsável pelo pedido de afastamento foi o ministro relator da Lava Jato, Edson Fachin

Presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves foi afastado do cargo na manhã desta quinta-feira (18), acusado de receber propina no valor de R$ 2 milhões.

Quem faz a denúncia é Joesley Batista, um dos donos do grupo JBS, que entregou à Procuradoria-Geral da República uma gravação com o político tucano exigindo a quantia. Segundo a delação, o dinheiro seria usado para pagar a defesa de Aécio, alvo de seis inquéritos na Operação Lava Jato.

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), foi o responsável pelo pedido de afastamento do senador. A Procuradoria-Geral da República pediu a prisão de Aécio, mas Fachin não deferiu o pedido. Se o Ministério Público recorrer, a decisão de prender ou não Aécio caberá ao plenário do STF.

Na manhã desta quinta-feira (18), a Polícia Federal cumpriu uma série de mandados de busca e apreensão em diversos endereços ligados a Aécio Neves em Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Os agentes da PF também cumpriram um mandado de prisão de Andrea Neves. A irmã e assessora de Aécio foi detida nesta manhã em sua casa, em Belo Horizonte. Também foram presos Frederico de Pacheco Medeiros, primo de Aécio, e Menderson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrela (PMDB). Medeiros foi coordenador da campanha de Aécio à Presidência em 2014 e é apontado como o responsável por receber o dinheiro da propina.

Aécio e a Lava Jato
Desde o início da Operação Lava Jato, Aécio Neves é um dos parlamentares mais citados por delatores do esquema de corrupção envolvendo as principais construtoras brasileiras. Além disso, o presidente do PSDB também acumula um dos maiores números de inquéritos. Ao todo são seis investigações por crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.

“Não é de hoje que denunciamos o envolvimento de toda classe política governante com os esquemas de corrupção. As notícias que chegam, comprovando a ligação de Aécio com o recebimento de propina, dão força à nossa palavra de ordem: Fora todos eles”, afirma o secretário-geral do Sindicato, Renato Almeida.

Veja mais Notícias



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Maurício Diamante, 65, Centro, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2017 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®