Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Imprensa / Últimas Notícias

Em defesa do direito de greve 05/11/2015 | 11:35

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • RSS
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Manifestação exige da Eaton retorno de diretores sindicais afastados

Trabalhadores protestam contra ação truculenta da empresa e da PM durante greve

Dirigentes sindicais e ativistas de diversas categorias reuniram-se na porta da Eaton nesta quinta-feira (5) para exigir que a empresa respeite o direito de greve, cancele o afastamento de dois diretores do Sindicato dos Metalúrgicos e reintegre um trabalhador demitido após a greve do dia 29 de setembro.

Cerca de cem manifestantes participaram deste que foi o primeiro de uma série de atos da campanha nacional organizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos e pela CSP-Conlutas, em protesto contra a repressão à organização sindical e pelo retorno à fábrica do trabalhador e dos dirigentes sindicais. (Clique aqui para acessar a moção de solidariedade)

Após a greve do dia 29, a Eaton demitiu o metalúrgico Edson Marcondes, que é portador de lesão ocupacional e tem direito à estabilidade, e afastou os dirigentes sindicais Ivan Cardoso e Marcelo de Santana, o Formiga, para “apuração de falta grave”, o que pode levar à demissão dos dirigentes por justa causa.

“Estamos aqui para denunciar a truculência de uma empresa que não negocia com o sindicato e ainda tenta destruir a representação sindical dos trabalhadores. Exigimos o retorno imediato dos companheiros afastados, o fim da repressão e a abertura de negociações pela Campanha Salarial”, afirmou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá.

A atuação repressiva da Policia Militar foi um dos alvos da manifestação. Na tentativa de impedir a realização da greve do dia 29, a Eaton usou um forte aparato militar com dezessete viaturas, um helicóptero Águia da PM e dezenas de policiais. A PM agiu com truculência contra os trabalhadores, usando gás de pimenta, cassetetes e chegou a agredir e algemar o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos.

“A Eaton montou uma verdadeira operação de guerra para impedir o trabalhador de exercer seu direito constitucional de greve. Isso é inadmissível”, ressaltou Luiz Carlos Prates, o Mancha, da CSP-Conlutas.

No ato desta quinta-feira, também houve presença de policiais, mas desta vez eles se mantiveram à distância.

Dirigentes dos sindicatos dos metalúrgicos de Campinas e Limeira (Intersindical) trouxeram solidariedade à luta contra as punições na Eaton. Na greve do dia 29, a empresa também usou de repressão na unidade de Valinhos (região de Campinas), onde dois dirigentes sindicais foram presos.

“A Eaton que se prepare, nossa luta é uma só. Vamos fazer pressão exigindo o retorno dos companheiros à fábrica”, afirmou José Carlos, dirigente do Sindicato de Limeira.

A manifestação também contou com a participação de representantes dos sindicatos da alimentação, químicos, dos Correios e aposentados da Admap.

Campanha Salarial
Os metalúrgicos estão em Campanha Salarial, mas a Eaton se recusa a negociar com o Sindicato, que já fechou mais de 20 acordos este ano, com reajustes que variam entre 10% e 13,5%. No ato desta quinta-feira, os trabalhadores também exigiram a abertura de negociação.

Fotos: Tanda Melo

 

Conteúdo Relacionado

Veja mais Notícias



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®