Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Imprensa / Últimas Notícias

Neste final de semana 02/10/2013 | 17:34

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • RSS
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Movimento Mulheres em Luta realiza 1º Encontro Nacional

Estará em discussão a luta das trabalhadoras contra o machismo e a exploração

A luta das trabalhadoras contra o machismo e a exploração ganhará mais força a partir do 1º Encontro Nacional do Movimento Mulheres em Luta, que acontece neste fim de semana, em Sarzedo (MG).

São esperadas 1.700 mulheres, entre trabalhadoras, estudantes e aposentadas. A delegação do Vale do Paraíba já está organizada e conta com 81 companheiras.

“O número de inscrições já é a primeira vitória do Encontro e uma demonstração de força e capacidade de organização das mulheres”, avalia a coordenadora da CSP-Conlutas do Vale, Janaína dos Reis.

Presença internacional
Está confirmada a participação da professora universitária e ativista indiana Soma Marik, que desenvolve a luta contra o estupro, um crime frequente no país.

Também estará presente Elizabeth Gomes da Silva, esposa do pedreiro Amarildo, que desapareceu após ter sido preso por policiais da UPP da Rocinha, há dois meses.

A diretora do Sindicato Rosângela Calzavara também estará presente no Encontro e falará sobre a realidade das mulheres operárias.

“O Encontro será um momento importante para organizarmos nossa luta contra a violência, pela redução da jornada e por salário igual para trabalho igual”, afirmou.

Cresce diferença salarial
A diferença salarial entre homens e mulheres voltou a crescer em 2012, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), realizada pelo IBGE.

O rendimento real das mulheres (R$ 1.238,00 ao mês) é 27% inferior ao dos homens (R$ 1.698,00). Em 2011, essa diferença era de 26%.

A situação não é diferente na categoria metalúrgica, onde a maior desigualdade está concentrada no setor eletroeletrônico, que também tem o maior número de mulheres. Nesse segmento elas têm salários até 40% menores que os dos homens.

Essa situação precisa ser combatida. Salário igual para trabalho igual!

Lei Maria da Penha não reduz assassinatos
Cinco mil mulheres são assassinadas todos os anos no Brasil. O dado alarmante foi apresentado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada) e deixa claro os limites da aplicação da lei Maria da Penha, considerada pelo governo federal a principal política de combate a violência contra a mulher.

O estudo também revela que 40% dos assassinatos foram cometidos por parceiros íntimos.
O próprio Ipea aponta que o problema está na falta de aplicação da lei. Mecanismos previstos na legislação, como Delegacias da Mulher e Casas Abrigos, são escassos no país e desestimulam a denúncia dos crimes.

Apesar do discurso da presidente Dilma, pouco se avançou em relação à defesa das mulheres vítimas da violência. Com isso, mortes que poderiam ser evitadas continuam ocorrendo.

Conteúdo Relacionado

Veja mais Notícias



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®