Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Imprensa / Últimas Notícias

Verbas públicas 30/07/2013 | 16:30

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • RSS
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Governo paulista do PSDB desviou mais de R$ 100 milhões

Esquema foi denunciado pela empresa alemã Siemens

Há 20 anos, os governos do PSDB de São Paulo mantêm um esquema criminoso que já desviou mais de 50 milhões de dólares de obras do trem e do metrô da capital paulista. A denúncia é da multinacional alemã Siemens e foi publicada pela revista “Isto é” da última semana.

Em troca de imunidade civil e criminal, a Siemens revelou como ela e outras companhias se articularam na formação de cartéis para vencer a concorrência em licitações públicas na área de transporte sobre trilhos, com preços superfaturados.

Para isso, os empresários manipularam licitações e corromperam políticos e autoridades ligados ao PSDB e servidores públicos de alto escalão durante a gestão dos governadores Mario Covas, José Serra e Geraldo Alckmin.

O esquema já era alvo de investigações no Brasil e no exterior, desde 2008, mas nenhuma providência foi tomada para barrar o “propinoduto”. Pelo contrário. Segundo a denúncia, mesmo após as primeiras investigações, as empresas envolvidas continuaram a vencer licitações e a assinar contratos com o governo.

Somente o Ministério Público de São Paulo abriu 15 inquéritos sobre o tema. Investigações concluídas na Europa apontam que a rede criminosa tem conexões com paraísos fiscais e teria drenado, pelo menos, US$ 50 milhões dos cofres paulistas.

O esquema
Segundo um funcionário da multinacional alemã, a Siemens subcontratava outra empresa para simular os serviços e realizar o pagamento da propina.

Foi o que aconteceu em junho de 2002, durante o governo de Geraldo Alckmin, quando a Siemens venceu a concorrência para manutenção preventiva de trens da série 3000 da CPTM (Companhia Paulista de Transportes Metropolitanos). Na época, a empresa subcontratou a MGE Transportes para realizar o serviço.

De acordo com uma planilha de pagamentos, a Siemens pagou à MGE R$ 2,8 milhões até junho de 2006. Desse total, pelo menos R$ 2,1 milhões foram sacados na boca do caixa por representantes da MGE para serem distribuídos a políticos e diretores da CPTM.

Outro contrato que está sendo investigado é o da construção da linha G. Segundo o denunciante, o acordo incluía uma comissão de 5% para os lobistas e de 7,5% a políticos do PSDB e diretores da área de transportes sobre trilho. Os contratos eram fechados em badaladas casas noturnas da capital.

Além da Siemens, teriam participado do esquema as empresas Alstom, Bombardier, CAF, TTrans e Mitsui. Também estão sob investigação a extensão da Linha 2-Verde do Metrô, a construção da fase 1 da Linha 5-Lilás, o Projeto Boa Viagem (modernização de trens da CPTM) e a manutenção das séries 2000 e 2100 (CPTM).

“Assim como o PT, o PSDB também está atolado em um lamaçal de corrupção. O dinheiro desviado dos cofres públicos para o bolso dos tucanos poderia acabar com o caos que é sistema de transporte sobre trilhos de São Paulo. Por isso, defendemos o julgamento e prisão de corruptos e corruptores”, declara o diretor do Sindicato Renato Junio de Almeida.

Conteúdo Relacionado

Veja mais Notícias



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®