Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Imprensa / Últimas Notícias

Vale do Paraíba 01/02/2013 | 15:41

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • RSS
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Tentativa de homicídio contra mulheres cresce 104%

Falta de estrutura voltada à proteção desestimula denúncia de casos de violência e o cumprimento da Lei Maria da Penha

A violência contra a mulher está crescendo de forma alarmante em nossa região. No último ano, as tentativas de homicídio registradas pelas 10 delegacias da mulher do Vale do Paraíba tiveram um aumento de 104% em relação ao ano anterior.

Os boletins de ocorrência desse tipo de crime passaram de 23 em 2011 para 47 no ano seguinte. O maior aumento foi em São José, que passou de 4 vítimas para 15 em 2012. No entanto, o número de agressões contra mulheres pode ser bem maior, já que a maioria das cidades da região não possui delegacia da mulher e esse tipo de crime, quando é registrado, é feito em delegacias comuns.

Esses números são apenas um demonstrativo da violência que fica marcada para sempre na pele e na vida de muitas mulheres agredidas, na maioria das vezes, pelos próprios companheiros.

A empresária Evanilce Pinho Carter é um exemplo. Desde o dia 16 de janeiro ela está internada no hospital municipal de São José, em estado grave. Ela sofreu traumatismo craniano após ter sido agredida pelo marido, o inglês Michael Raymond Carter, 44 anos.

Além da violência, o que impressiona e indigna neste caso é que Evanilce já havia registrado seis boletins de ocorrência contra o marido por agressão ou ameaça e, mesmo assim, ele não foi preso.

Outro caso é o da operadora de telemarketing Ana Flávia Ribeiro Barbosa, de 33 anos, atropelada pelo ex-companheiro, o garçom Carlos Gonçalves de Jeses, na madrugada do dia 14 de setembro do ano passado. Sem os movimentos das pernas, e com uma sonda presa ao corpo, Ana Flávia passa o dia na cama e precisa da ajuda da família para as mínimas tarefas.

O atropelamento teria ocorrido por ciúmes, pois Ana Flávia estava com um amigo no momento do crime. O agressor chegou a ser preso preventivamente, mas agora está em liberdade provisória.

Falta de estrutura
As mulheres de nossa região contam com pouco ou nenhum suporte para protegê-las de seus agressores. Nas 39 cidades do Vale do Paraíba existem apenas 10 Delegacias da Mulher e nenhuma Casa Abrigo.

“Essas estruturas estão previstas na Lei Maria da Penha como essenciais para proteção da mulher, mas não são cumpridas pelo Estado, o que leva muitas a desistir da denúncia”, denuncia a diretora do Sindicato, Rosângela Calzavara. “A luta contra a violência à mulher será um dos temas do 8 de março, dia internacional da mulher, este ano”, disse.

Conteúdo Relacionado

Veja mais Notícias



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®