Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Imprensa / Últimas Notícias

Em defesa do emprego 18/01/2013 | 18:38

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • RSS
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Sem acordo, Sindicato e GM prosseguem com negociações

Próxima reunião será dia 23, quando acontece também o dia de luta

Sem chegar a um acordo com a General Motors, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos prosseguirá com as negociações, no próximo dia 23, e vai pressionar a presidente Dilma Rousseff para que interfira nos planos da montadora de demitir 1.598 trabalhadores, a partir de 26 de janeiro. Na reunião de hoje, a empresa continuou categórica com relação aos cortes.

Para reverter esse quadro, nos próximos dias o Sindicato vai atuar em três frentes: cobrar o Governo Federal, dar continuidade às negociações com a montadora e fortalecer as mobilizações.

No dia 23, quando acontece a próxima reunião, será realizado também o Dia de Ação Global contra os Ataques da GM, a ser realizado simultaneamente em seis países: Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Espanha, Colômbia e Argentina. Em São José dos Campos, haverá atividades específicas contra as demissões.

Levantamento realizado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) revela que de agosto de 2011 e novembro de 2012, a GM fechou 1.297 postos de trabalho em São José dos Campos (saldo entre admissões e demissões). Nesse levantamento ainda não estão incluídas todas as demissões realizadas pelo Programa de Demissão Voluntária (PDV), aberto pela GM em agosto de 2012.

Apelo à presidente Dilma
O Sindicato vai continuar insistindo em ser recebido pela presidente Dilma. Há meses, os trabalhadores tentam ser recebidos por ela, mas ainda não tiveram qualquer resposta positiva.

“Não podemos aceitar que a presidente receba os empresários, como vem fazendo, e não aceite receber os trabalhadores. Depois de todos os benefícios dados pelo governo federal às montadoras, o mínimo que Dilma pode fazer é assinar uma medida provisória proibindo essas demissões”, afirmou o presidente do Sindicato, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá.

Representantes dos Ministérios do Trabalho e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio também participaram da reunião, a convite do Sindicato. Estiveram presentes a assessora do secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento, Leonita de Carvalho, e a chefe da Seção de Relações do Trabalho, Aylza Gudin.

A reunião também teve a participação dos secretários municipais de Relações do Trabalho, José Luis Nunes, do Desenvolvimento Econômico Sebastião Cavali, e do chefe de gabinete da Prefeitura, Paulo Roitberg.

Negociações continuam
Apesar de estar previsto que as negociações terminem no dia 23, GM e Sindicato já consideram a possibilidade de realizarem mais uma reunião no dia 26 de janeiro, quando termina o prazo para o lay-off.

O Sindicato se mostrou disposto, inclusive, a negociar questões como a adoção de uma nova grade salarial para a fábrica, desde que os empregos fossem garantidos. A empresa, entretanto, não deu essa garantia.

“O fato é que nos planos da GM não cabem esses 1.500 pais de família. A GM está em ótima fase e não precisa demitir. Vamos continuar lutando com todas as nossas forças para que todos os trabalhadores permaneçam com seus empregos”, conclui Macapá.

Conteúdo Relacionado

Veja mais Notícias



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®