Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Jornal o Metalúrgico em Família

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Versão em PDF

Edição 65 | Dezembro de 2011

Ao contrário do discurso

Governo Dilma mantém privatizações

Na campanha eleitoral, o PT buscou se diferenciar do PSDB com discurso contra privatizações. Uma grande mentira!

Campanha eleitoral de 2010. Os então candidatos Dilma Rousseff, do PT, e José Serra, do PSDB, vão para o segundo turno na disputa para a Presidência da República.

A nova disputa foi um balde de água fria para muitos petistas, que pensavam que, com o apoio de Lula, Dilma liquidaria a fatura no primeiro turno.

Foi uma campanha marcada por baixarias e moralismo reacionário. Entretanto, para aproveitar o repúdio da população às privatizações do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), no qual Serra foi ministro, Dilma adotou um discurso à esquerda, contra a entrega do patrimônio público para a iniciativa privada.

Contudo, após a posse da primeira mulher presidente, a prática jogou o discurso na lata do lixo. Dilma manteve a política de privatizações do PSDB e do próprio Lula, que não reverteu nenhuma das entregas criminosas de FHC.

Somente este ano, Dilma mudou a lei para abrir espaço para a privatização dos Correios e já começou a entregar à iniciativa privada a gestão de aeroportos.

“No primeiro ano de governo, Dilma manteve a tônica de Lula e dos tucanos, seja na economia, no pacote de bondades aos patrões e, é claro, na política de privatizações”, comentou o diretor do Sindicato Antônio Ferreira de Barros, o Macapá.

O mal das privatizações - Desde a gestão Collor, os governos têm entregue às empresas, em sua maioria estrangeiras e multinacionais, o patrimônio dos brasileiros.

Os chamados programas de desestatização foram verdadeiros crimes lesa pátria, como defendem alguns juristas.

A Vale do Rio Doce foi vendida por FHC, em 1997, por apenas 3,3 bilhões de dólares. Para se ter uma ideia, o lucro dela no mesmo ano foi três vezes maior. Em 2010, o lucro da Vale foi de R$ 30 bilhões.

A história foi a mesma com a Embraer, Telebrás, CSN e tantas outras. No enredo, repetido por todos os últimos governos, sucateiam e desvalorizam o patrimônio estatal, o vendem a “preço de banana”, aceitam pagamento com “moedas podres” (títulos da dívida pública) e até financiam a venda por meio do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Em alguns casos até, depois de privatizadas, voltam a dar dinheiro público.

Lançado neste final de ano, o livro “Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Ribeiro Jr., faz um apanhado dos escândalos e a corrupção por trás das privatizações tucanas. Nos governos petistas de Lula e Dilma, marcados por tantos casos de corrupção, a farra continua.


Nos Correios, a privatização de um serviço reconhecido

Nas pesquisas periódicas que avaliam o prestígio de organizações junto à população, o trabalho dos Correios fica no topo da tabela. Porém, uma mudança proposta pelo governo e pela Câmara abre as portas para entrega deste serviço essencial e estratégico.

Em abril deste ano, Dilma editou a Medida Provisória 532/11 e o decreto lei 7483. Para tentar driblar a opinião pública, juntaram assuntos diversos, como regulamentação dos biocombustíveis e a mudança no estatuto dos Correios.

Com as alterações, o presidente da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) e o Ministro das Comunicações têm poderes para alterar o que quiserem em uma assembleia da direção, numa canetada.

O projeto já foi aprovado pelo Congresso e sancionado pela presidente Dilma.

População prejudicada - A MP 532 adequa os Correios como S.A (Sociedade Anônima) e autoriza a divisão da empresa em várias outras, menores. Com a privatização, os serviços dos Correios serão precarizados, já que a lógica do lucro é que prevalecerá.

Localidades distantes correm o risco de não serem atendidas. Além disso, programas importantes, como a “carta social”, com tarifa de R$ 0,01, podem simplesmente desaparecer.


Aeroportos já começaram a ser entregues por Dilma

No final de novembro, a presidente Dilma Rousseff (PT) deu início à privatização dos aeroportos brasileiros.

A primeira concessão à iniciativa privada foi a do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, cidade localizada a 28 km de Natal (RN).

O governo já anunciou para 6 de fevereiro o leilão de outros três terminais - Guarulhos (SP), Viracopos (SP) e Brasília. A desculpa utilizada é a Copa do Mundo de 2014.

É mais uma medida prejudicial ao país, pois coloca na mão da iniciativa privada (que só pensa no lucro), um setor estratégico do país. Em todo o mundo, a ampla maioria dos aeroportos são públicos e sob controle governamental.

Os passageiros pagarão do próprio bolso duas vezes: tarifas mais caras e a salvaguarda financeira que o governo ainda vai garantir aos novos administradores. Um absurdo!

Expediente

Órgão informativo do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Caçapava, Jacareí, Santa Branca e Igaratá. Rua Maurício Diamante, 65 - CEP: 12209-570 - Tel.: (12) 3946.5333 - Fax: (12) 3922.4775, São José dos Campos (SP). Site: www.sindmetalsjc.org.br. E-mail: comunicacao@sindmetalsjc.org.br - Presidente do Sindicato: Vivaldo Moreira Araújo - Diretoria Executiva: Herbert Claros da Silva, Adilson dos Santos, Luiz Carlos Prates, José Gonçalves Mendonça, José Donizetti de Almeida - Diretoria Efetiva: Adilson Carlos do Prado, Ananias Francisco Santos, André Luis Gonçalves, Antonio Ferreira de Barros, Camilo Lélis Lopes, Célio Eduardo Silveira, Clóvis Fernandes de Sousa, Edson Alves Cruz, Eduardo de O. S. Carneiro, Eliane dos Santos, Geraldo de Jesus Santos, Ivan Cardoso de Souza, Jésu Donizetti de Souza, João Batista Arruda, José Francisco Sales, Keila Mendes Costa, Luciano de Oliveira Valle, Luciano Macedo César, Renato Bento Luiz, Rilma Maria da Silva, Rinaldo Fernando Silveira, Rogério Willians de Oliveira, Sebastião Francisco Ribeiro, Silvio Peninck de Oliveira, Valdir Martins de Souza, Valmir Diniz Ferreira, Vinícius Faria - Conselho Fiscal: Edmir Marcolino da Silva, José Dantas Sobrinho, Lauro Claudino Nunes, Ademir Tavares da Paixão, José Carlos de Lima, Rosângela de Souza Calzavara - Responsabilidade da publicação: Diretoria do Sindicato - Edição: Ana Cristina da Silva. Redação: Douglas Dias, Eliane Mendonça, Rodrigo Correia, Shirley Rodrigues - Editoração Eletrônica e Ilustração: Bruno César Galvão Impressão: Jornal Diário da Região - CNPJ 07.351.093/0001-48

Busca por palavras

Busque o jornal por edição

Veja todas as edições



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®