Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Jornal do Metalúrgico

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Versão em PDF

Edição 958 | De 03 a 08 de Agosto de 2011

Expediente

 Orgão informativo do Sindicato dos Metalúrgicos de S. J. Campos, Caçapava, Jacareí, Santa Branca e Igaratá • Rua Maurício Diamante, 65 - 12209-570- (12) 3946.5333 - Fax: 3922.4775 - site: www.sindmetalsjc.org.br - e-mail: comunicacao@sindmetalsjc.org.br - São José dos Campos - SP - Responsabilidade: Diretoria do Sindicato - Edição: Ana Cristina Silva - Redação: Douglas Dias, Eliane Mendonça e Shirley Rodrigues. Editoração Eletrônica: Bruno César Galvão Ilustração: Bruno César Galvao. Fotolito e Impressão: UniSind Gráfica Ltda (11) 3271-1137

Contas para pagar

Endividamento do trabalhador no Brasil atinge nível recorde

Política econômica do governo e aumento do consumo por expansão do crédito são os principais vilões

O aumento na inadimplência do consumidor brasileiro é a maior dos últimos 9 anos. É isso o que aponta um estudo realizado pela Serasa Experian no mês de junho.

O aumento foi de 22,3% em relação a junho do ano passado. É o maior aumento desde 2002.

Segundo o estudo “Radiografia do Endividamento das Famílias nas Capitais Brasileiras”, realizado pela Fecomércio - SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo), 64% das famílias que vivem nas capitais brasileiras estão endividadas. Em algumas capitais a situação é ainda pior. Em Curitiba (PR), 88% das famílias têm dívidas.

Outro estudo realizado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) mostra que entre as famílias que afirmaram estar endividadas, o valor médio é de R$ 4.343,95.

Bomba-relógio
Estes dados trazem à tona o resultado da política econômica do governo no último período.

O endividamento dos brasileiros saltou de 6%, no final do governo FHC, para 15%, no governo Lula.

A concessão de crédito fácil e com prazos cada vez maiores por bancos e financeiras levou ao aumento no consumo, mas às custas de um endividamento alarmante das famílias, que passaram a utilizar o crédito para manter o poder de compra.

Como as taxas de juros do país são as mais altas do mundo, os bancos fazem de tudo para que você tome dinheiro emprestado. Dessa forma, os trabalhadores ficam cada vez mais endividados e os bancos lucram cada vez mais. E tudo foi feito com incentivo do governo.

As recentes pesquisas revelam por que muitas pessoas têm a impressão de que a vida melhorou. Mas é um castelo de areia, pois se apoia num endividamento que pode ser uma verdadeira “bomba-relógio”, segundo já admitem vários economistas.


Juros de 6% aos patrões e de 150% aos trabalhadores

O governo brasileiro mantém a maior taxa de juros do mundo, 12,25% (taxa Selic). É uma política que só beneficia os banqueiros e especuladores que lucram às custas do aumento da dívida pública.

Com isso, os juros para os trabalhadores são de, pelo menos, 150% ao ano. A taxa do cheque especial chega a absurdos 198%.

Já para as empresas, o governo garante, via BNDES, juros de apenas 6% ao ano.

Essa é a política econômica do governo: vida boa para banqueiros e empresas, e extorsão aos trabalhadores.


Salários estão arrochados

O governo faz propaganda do crescimento econômico e vende a ilusão do surgimento de uma nova classe média mas, na prática, não é bem assim. Segundo dados do IBGE, o rendimento médio dos trabalhadores em 2002 era de R$ 1.450, mesmo número verificado em 2009.

Ou seja, o poder de compra dos trabalhadores manteve-se no mesmo nível, apesar de toda a inflação do período. Com esse arrocho, o trabalhador teve que recorrer ao cheque especial, cartão de crédito e empréstimos.

“A forma de mudar essa situação é atacar os lucros do setor financeiro. Defendemos medidas como a estatização dos bancos e a redução dos juros. Sem contar, é claro, que nesta Campanha Salarial vamos à luta arrancar aumento real de salário”, afirma o diretor do Sindicato, Renato Bento Luiz, o Renatão.

Busca por palavras

Busque o jornal por edição

Veja todas as edições



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®