Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Jornal do Metalúrgico

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Versão em PDF

Edição 1195 | De 03 a 09 de Maio de 2017

Expediente

Orgão informativo do Sindicato dos Metalúrgicos de S. J. Campos, Caçapava, Jacareí, Santa Branca e Igaratá • Rua Maurício Diamante, 65 - 12209-570- (12) 3946.5333 - Fax: 3922.4775 - site: www.sindmetalsjc.org.br - e-mail: comunicacao@sindmetalsjc.org.br - São José dos Campos - SP - Responsabilidade: Diretoria do Sindicato - Edição: Rodrigo Correia - Redação: Douglas Dias, Manuela Moraes e Lucas Martins. Editoração e Ilustração: Bruno Galvão - Fotolito e Impressão: Unisind. Tel.: (11) 99907-9771

28 de abril

Paralisação nacional põe Temer e parlamentares contra a parede

A força da Greve Geral e o amplo apoio popular à mobilização aumentaram a pressão sobre o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional.

As paralisações e protestos, de norte a sul do país, foram um duro golpe contra o governo.

“A classe trabalhadora brasileira deu o seu recado a Brasília: não aceita as reformas que rasgam a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e acabam com o direito à aposentadoria”, avaliou o presidente do Sindicato, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá.

A estratégia do governo Temer, no entanto, foi a de ir contra a realidade e dizer que o movimento “fracassou”.

A declaração, feita pelo ministro da Justiça, Osmar Serraglio, mostra o desespero de Temer, que amarga uma desaprovação recorde e agora tenta desmerecer uma das maiores mobilizações da história da classe trabalhadora brasileira.

Repercussão internacional
Se a imprensa brasileira também fez o jogo do governo e dos patrões ao não dar a devida cobertura à Greve Geral, a mídia estrangeira destacou o alcance da mobilização.

O título da reportagem do jornal “The Guardian”, do Reino Unido, foi “Brasileiros cansados de políticos corruptos vão às ruas protestar contra medidas de austeridade”.

Para o jornal “The New York Times”, dos Estados Unidos, “A greve revelou fissuras profundas na sociedade brasileira sobre o governo de Temer e suas políticas”.

O jornal Clarín, da Argentina, deu ampla cobertura ao dia 28 e destacou como o movimento acertou Temer em cheio. “Convocada para manifestar-se contra as reformas das leis trabalhistas e previdenciárias, a Greve Geral se converteu, na verdade, em um protesto contra o próprio presidente brasileiro”, destacou o periódico argentino.


Se Temer não recuar, ocupar Brasília e fazer nova Greve Geral

Se o governo Temer continuar intransigente e se negar a ouvir a voz das ruas contra as reformas, será preciso aumentar a mobilização.

“Se eles insistirem na aprovação das reformas trabalhista e da Previdência, defendemos que as centrais sindicais e os movimentos sindicais de todo o país realizem uma caravana a Brasília. Vamos ocupar a capital do país contra os ataques aos nossos direitos”, disse o vice-presidente do Sindicato, Herbert Claros da Silva.

Outra iniciativa seria repetir a Greve Geral, mas agora em dose dupla. “Propomos a realização de uma Greve Geral ainda mais forte, pelo período de 48 horas”, explicou Herbert.
 

Busca por palavras

Busque o jornal por edição

Veja todas as edições



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®