Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Voltar para Página Inicial

Jornal do Metalúrgico

  • Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Versão em PDF

Edição 1096 | De 04 a 10 de Novembro de 2014

Expediente

Orgão informativo do Sindicato dos Metalúrgicos de S. J. Campos, Caçapava, Jacareí, Santa Branca e Igaratá • Rua Maurício Diamante, 65 - 12209-570- (12) 3946.5333 - Fax: 3922.4775 - site: www.sindmetalsjc.org.br - e-mail: comunicacao@sindmetalsjc.org.br - São José dos Campos - SP - Responsabilidade: Diretoria do Sindicato - Colaboração: Conselho Editorial - Edição: Rodrigo Correia - Redação: Douglas Dias, Manuela Moraes, Shirley Rodrigues e Shuellen Peixoto. Editoração e Ilustração: Bruno Galvão - Fotolito e Impressão: UniSind Gráfica Ltda (11) 3271-1137

Salão do Automóvel

Em protesto, metalúrgicos pedem medidas em defesa dos empregos

Metalúrgicos da GM, TI Automotive e outras empresas da nossa base participaram de um protesto no Salão do Automóvel, no dia 31, exigindo do governo medidas efetivas em defesa dos empregos no setor automotivo.

A manifestação, organizada pelo Sindicato e pela CSP-Conlutas, exigiu da presidente Dilma a edição de uma lei que garanta estabilidade no emprego.

Em todo país, as montadoras continuam atacando os trabalhadores com lay-off (suspensão de contrato de trabalho) e até mesmo demissões, apesar dos incentivos fiscais bilionários concedidos pelo governo.

Em São José, trabalhadores da GM estão em lay-off desde setembro.

“Queremos com o protesto mostrar a nossa batalha em defesa dos empregos. Queremos divulgar o que está acontecendo, com as empresas recebendo bilhões em isenções fiscais e os trabalhadores à míngua, abandonados à própria sorte”, disse o metalúrgico da GM Demócrito Soares, 46 anos, que está em lay-off.

“Os lucros das empresas estão garantidos. Por isso, a presidente Dilma não pode aceitar que as montadoras demitam. Exigimos também redução da jornada de trabalho e proibição da remessa de lucros ao exterior, para que as empresas invistam esse dinheiro no Brasil”, afirma o diretor do Sindicato Célio Dias.

A manifestação em São Paulo recebeu apoio internacional, como do grupo Caravan Autoworkers, dos Estados Unidos.

Protesto contra Nissan
Quem também aproveitou o Salão do Automóvel para protestar foi um grupo de trabalhadores da Nissan dos Estados Unidos, apoiado por sindicalistas brasileiros.

O ato foi organizado pelo sindicato norte-americano UAW, que denunciou o autoritarismo da montadora, que não permite a sindicalização dos funcionários e dificulta as negociações por melhores condições de trabalho em sua unidade nos EUA.


GM coloca 850 em lay-off em São Caetano

A GM vai colocar 850 trabalhadores da fábrica de São Caetano em lay-off, a partir do dia 10.

A medida, que vai durar até abril, confirma que assinar acordos rebaixados não garante direitos. Na Campanha Salarial do ano passado, o Sindicato de São Caetano fechou um acordo com a GM por três anos, sem aumento real de salários.

Além disso, de setembro de 2012 a setembro deste ano, a GM de lá fechou 899 postos de trabalho.

“Neste momento, é necessária a unidade entre trabalhadores de todo o país em defesa dos empregos. Apenas uma luta unitária poderá barrar os ataques das montadoras”, avalia o secretário-geral do Sindicato, Luiz Carlos Prates, o Mancha.
 

Busca por palavras

Busque o jornal por edição

Veja todas as edições



Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Jacareí, Caçapava, Santa Branca e Igaratá
Sede: Rua Coronel Moraes, 143, Jardim Matarazzo, São José dos Campos - SP | Telefone: (12) 3946.5333 | Fax: (12) 3922.4775.
© 2019 Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - Todos os direitos reservados | Desenvolvimento Web: ClickNow®